Sobre Trabalhos: Instruções para o Colapso em Fortaleza e Itapipoca/ CE

Em continuidade com a circulação nacional de Instruções para o Colapso, contemplada pelo Prêmio FUNARTE Klauss Vianna de Dança 2013 fomos então para a ultima cidade, para Fortaleza, segunda cidade no Nordeste neste projeto. No ceará o Coletivo apresentou o Instruções para o Colapso na cidade de Fortaleza, no dia 08 de novembro, as 11h, na Praça do Ferreira. E realizou a oficina e a Incubadora de criação em Itapipoca, em parceria com a Cia. Balé Baião de Dança Contemporânea – coletivo este que mantêm relações de afinidade de pesquisa com trabalhos de intervenção urbana, performance e longa jornada de trabalho com projetos pedagógicos em Itapipoca e nos arredores do interior do Ceará.

A apresentação em Fortaleza se realizou numa manhã de sábado, dia 08 de novembro, as 11h, na Praça do Ferreira. Nos sábados a Praça do Ferreira fica bem viva e cheia de pessoas devido aos comércios abertos até as 13h e grande quantidade de feiras ou barracas com venda de objetos e produtos dos mais variados.  A região central é bem ocupada tanto por pessoas fazendo compras, quanto a trabalho ou a passeio. A Praça do Ferreira se encontra próxima do Teatro José de Alencar  e da Praça José de Alencar, que atrai uma quantidade enorme de pessoas para passeio e compras. O público que veio assistir ao trabalho foi bem variado. Havia público convidado, mas grande parte do público era espontâneo, que circulava pela Praça no momento do espetáculo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto: Felipe Araújo

Em Itapipoca, a oficina Corpo Cidade | Performances Urbanas Coreográficas ocorreu a partir de uma parceria com a Cia. Balé Baião de Dança Contemporânea. Essa oficina foi realizada nos dias 04, 05 e 06 de novembro de 2014, das 8h30 as 11h30 , na Lona de Maria – Circo Escola de Itapipoca, em Itapipoca/CE. A Cia. Balé Baião  é atuante há 20 anos em Itapipoca (Litoral Oeste do Ceará e Vale do Curu), e vem desenvolvendo um trabalho pioneiro de pesquisa, criação, formação continuada e difusão de dança contemporânea no interior cearense. Fomentam e promovem pesquisas artístico-pedagógicas  no Galpão da Cena e no Circo Escola de Itapipoca, também chamado de Lona de Maria. A parceria se deu no Circo-Escola, um dos braços de ações do grupo, que tem a ação político-social como uma de suas principais inquietações e que funciona dentro de uma escola pública.  A oficina se desenvolveu a partir do aprofundamento de experiências a cada dia, compartilhando questões e pesquisas do Coletivo Cartográfico com fisicalidades, e com o estar no embate direto com a rua, através de ações de intervenção urbana. Nesta oficina, por ser mais longa, tivemos a possibilidade de propor ações nos arredores do Circo Escola, com a intenção de se relacionar diretamente com a comunidade e com os moradores do entorno do Circo Escola.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto: Cacheado Braga

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto: Monica Lopes

Em Itapipoca a Incubadora de Criação foi realizada em parceria com a Cia. Balé Baião de Dança Contemporânea. Dirigida por Gerson Moreno (coreógrafo e pedagogo), a Balé Baião apresenta em seu repertório espetáculos montados em processos colaborativos. Suas questões estão relacionadas ao Corpo Contemporâneo e sua pesquisa tem como base jogos de composição desenvolvidos pela Balé Baião e de residências, intercâmbios com artistas e coreógrafos convidados.  Atualmente a Cia. Balé Baião gerencia a Associação de Artes Cênicas de Itapipoca (AARTI), e tem como sede de suas ações uma antiga serraria de imóveis doada pelo pai de Gerson Moreno. Nesse espaço hoje chamado Galpão da Cena funcionam núcleos permanentes de formação: Escola Livre de dança balé baião (núcleo iniciante), Cia Rebentos de dança (núcleo veterano de jovens bailarinos), núcleo de percussão Tambores Afro Baião e o núcleo de artes audiovisuais Advento, todos acompanhados pedagogicamente pelos artistas docentes da Cia. Balé Baião.

A Incubadora de criação se deu no formato de residência artística  e se realizou em uma casa ao lado do Galpão da Cena, onde as integrantes do Coletivo Cartográfico puderam estar em constante troca com a Cia. Balé Baião e suas atividades artístico-pedagógicas cotidianas.  Através de uma convivência diária durante 4 dias (do dia 3 a 6 de novembro/ 2014), a Incubadora se realizou enquanto troca artística no dia a dia das ações fomentadas tanto no Galpão da Cena quanto no Circo-Escola de Itapipoca. No primeiro dia do Coletivo Cartográfico em Itapipoca uma atividade do Galpão da Cena em parceria com a Bienal de Par em Par 2014 foi realizada e assim as integrantes do Cartográfico puderam participar de uma oficina do Grupo Gira Dança de Natal, Rio Grande do Norte, e assistir a um espetáculo deles – o Proibido Elefantes.

Durante a semana o Cartográfico também participou da aula regular de Danças Negras, sob orientação de Gerson Moreno e assistiu o espetáculo Negrume, da Cia. Balé Baião, no dia 5 de novembro de 2014, no Teatro Carlos Câmara, em Fortaleza, CE – seguindo de ônibus com a equipe e integrantes da Cia. Este espetáculo acabara de circular por várias comunidades quilombolas no Nordeste afora. A Cia Balé Baião está no processo de escrita de um livro sobre os 20 anos de trajetória da Cia. e assim pudemos partilhar de questões e inquietações relacionadas a este momento; além de compartilhar as pesquisas de criação do Coletivo durante o realizar da oficina Corpo-Cidade | Performances Urbanas Coreográficas em 3 dias consecutivos, no Circo-Escola, onde participaram tanto integrantes da Cia Balé Baião quanto da Cia. Rebentos, e também alunos jovens da Escola livre e do Circo Escola.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para mais informações sobre a Cia. Balé Baião de Dança Contemporânea, segue o site:

Cia. Balé Baião de Dança Contemporânea

Agenda: Instruções para o Colapso no Ceará (Fortaleza e Itapipoca)

Depois de um processo intenso e vertiginoso de realização do projeto de circulação nacional de Instruções para o Colapso, contemplado pelo Prêmio FUNARTE Klauss Vianna de Dança – 2013 em seis diferentes cidades de cinco regiões diferentes do país, o Coletivo Cartográfico se encaminha para a última etapa dessa jornada, seu último pouso, o Ceará, no qual o Cartográfico irá para duas cidades distintas – Itapipoca e Fortaleza.

Em Itapipoca, as integrantes do Coletivo irão realizar, de 03 a 06 de novembro, uma série de trocas artístico-pedagógicas com a Cia. Balé Baião de Dança Contemporânea, que desenvolve a 20 anos um trabalho de pesquisa, criação, formação continuada e difusão de Dança Contemporânea no interior cearense – no município de Itapipoca, localidades (distritos), cidades vizinhas pertencentes à região e estado do Ceará. Para mais informações sobre a Cia., acesse o site:

http://www.ciabalebaiao.com.br/

Em Fortaleza, acontecerá, no dia 08 de novembro, sábado, as 11h, na Praça do Ferreira, a última apresentação de Instruções para o Colapso desse projeto de circulação:

flyer_email_fortaleza