Sobre Trabalhos: Rastro#1 – expectativa de purificação

Performance, concebida e performada pelas integrantes do Coletivo Cartográfico (Carolina Nóbrega, Fabiane Carneiro e Monica Lopes) e apresentada no dia 12 de março de 2014, no Largo São Bento, em São Paulo/SP, como parte da programação do 1o GIRE (Grupos Independentes em Rede).

.quarenta dias antes de tocar a terra firme; quarenta dias e quarenta noites para receber a Lei; quarenta anos para ter a terra prometida; quarenta anos de paz sob os juízes; quarenta dias para o encontro; quarenta dias para obter o perdão; quarenta anos duraram os reinados; quarenta dias para ser reconhecido; quarenta dias para a purificação; quarenta dias e quarenta noites no deserto; quarenta dias ressuscitado; quarenta dias de preparação e penitência.

Descrição: Local – Largo São Bento, São Paulo./Período – Quaresma/Duração – das 11h-12h/Ação – No círculo branco a direita da porta do mosteiro, estarão uma pilha de tocos de carvão e 3 mulheres de cabelos soltos vestidas de preto. Quando o sino do mosteiro ressoar 11 badaladas, cada mulher pegará 2 carvões, um em cada mão e sairá andando para além do círculo. As mulheres, através de relação estabelecida pelo olhar, caminharão sempre na mesma velocidade, que poderá variar de muito lenta à corrida. Até que uma das mulheres decide parar. Quando uma para, todas param. Então, se ajoelham olhando para o chão,  com o tronco levemente arqueado e os braços estendidos nas laterais do corpo. Os braços se movem para frente e para trás, em paralelo, e com o carvão que seguram em cada uma das mãos, desenha-se o chão. Simultaneamente, as mulheres giram ao redor de si mesmas, deixando no chão o rastro de um círculo. Assim que o círculo for terminado, uma a uma, as mulheres se levantam. Seus olhares novamente se conectam e assim que uma voltar a caminhar, todas também caminham, reiniciando o ciclo começado na badalada das 11 horas. Esse ciclo será repetido 40 vezes. Cada mulher, portanto, desenhará 40 círculos. O último círculo deverá ser terminado ao badalar das 12 horas. As mulheres deverão marcar a passagem do tempo pelas badaladas dos sinos, que acontecem a cada 15 minutos. Depois de desenhado o último círculo, uma a uma as mulheres se levantam e caminham em direção ao viaduto Santa Ifigênia, até desaparecerem. Em algum momento da caminhada, cada mulher deverá deixar o carvão cair de suas mãos.

Notas:

1 – Caso em algum momento da ação o carvão acabe, a mulher deverá, no momento da caminhada, caminhar até a pilha de carvão, sendo seguida pelas outras, que deverão também pegar carvões novos.

2 – Caso o desenho do último círculo seja feito antes das 12 badaladas finais, a mulher deve permanecer ajoelhada em seu círculo aguardando o som dos sinos.

3 – Considerando que deverão ser desenhados 40 círculos em 1 hora e que a passagem do tempo é marcada pelos sinos a cada 15 minutos, haverão, portanto, 4 fatias de tempo, em cada fatia, deve-se tentar realizar 10 círculos.

4 – A pilha de carvões deverá ser abandonada no Largo.

Fotos: Fernando Siviero e Viviane Bezerra

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Agenda: Performance “Rastro#1 – Expectativa de Purificação” no GIRE

O Coletivo Cartográfico está participando do 1º GIRE – Grupos Independentes em Rede, junto com outros coletivos e artistas que pesquisam suas poéticas em relação direta com a rua. 

Trata-se de uma proposta do Avoa! núcleo artístico , de Luciana Bortoletto , para a criação de redes de relação, troca, contaminação e fortalecimento entre trabalhos… Para que possa-se pensar para além dos processos de criação isolados de cada coletivo ou artista…

Serão três dias de atividades, que contarão com a presença do Avoa Núcleo ArtísticoLilian Amaral , Maíra Vaz Valentee o Núcleo Tríade

O Coletivo Cartográfico irá fazer na quarta-feira, dia 12 de março, uma performance inédita, “Rastro#1 – expectativa de purificação”, de concepção e performance de Carolina NobregaFabiane Carneiro e Monica Lopes Galvão, que terá início na frente do mosteiro São Bento e se desenrolará das 11h-12h, sendo seguido pela ação de Maíra Valente…

Um pouco mais sobre o GIRE, nas palavras de Luciana Bortoletto:
Propõe uma aproximação – espaço de diálogo e compartilhamento de processos – entre artistas pesquisadores que se interessam por poéticas urbanas (espaço público como território de ação) e o corpo nesse contexto.

Ele está estruturado em dois eixos:

O primeiro diz respeito ao tipo de treinamento corporal que cada coletivo, grupo e artista realiza quando se prepara para estabelecer suas relações com a rua. O que considera imprescindível dentro de um processo de preparação corporal para atuar na rua;

O segundo diz respeito aos processos de criação: o que mobiliza cada grupo? Quais as questões que tem surgido ao friccionar a rua e também ao seguir seu fluxo.

Os elementos artísticos, estéticos, poéticos e políticos que constituem os trabalhos desenvolvidos com e para a rua, ao serem observados coletivamente, podem gerar que tipo de questões e fricções?

Atribuindo às diferenças potencial de troca de experiências pode-se ampliar o olhar sobre as inúmeras possibilidades de atuação nos espaços públicos por meio da dança e da performance.

O 1º GIRE acontece de 10 a 12 de março de 2014, no seguinte trecho do centro de São Paulo:

Galeria Olido, Largo do Paissandu, Boulevard São João, Rua e Largo São Bento, Faculdade de São Bento, Viaduto Santa Ifigênia.

Para ampliar a rede, o …AVOA! propõe – além dos encontros presenciais – um mapeamento via internet que será divulgado em breve e que ajudará na elaboração do 2º GIRE, previsto para o segundo semestre de 2014.

Abaixo, o link do site com informações e programação:

http://giredancaemrede.wordpress.com/